Simpósio Municipal do Transtorno do Espectro Autista é aberto com debates sobre inclusão e direitos

Realizado no auditório da Unip, evento promovido pela Prefeitura de Araraquara terá sequência nesta quarta-feira (3)

Simpósio Municipal do Transtorno do Espectro Autista é aberto com debates sobre inclusão e direitos



Nesta terça-feira (2), Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo, o auditório da Unip Araraquara sediou o primeiro dia de atividades do II Simpósio Municipal do Transtorno do Espectro Autista, que visa expandir a compreensão sobre o transtorno e discutir estratégias atuais de intervenção. O evento terá sequência nesta quarta-feira (3), no mesmo local, com mais debates e palestras.

Na abertura do evento, o vice-prefeito e secretário do Trabalho, Desenvolvimento Econômico e Turismo, Damiano Neto, que representou o prefeito Edinho, falou sobre a importância de um encontro com esse tema. "Estamos em um momento importantíssimo para a propagação de informações sobre o Espectro Autista. O preconceito e os estigmas em torno do TEA são combatidos com informação. A informação e a conscientização promovem a inclusão e a aceitação. Esse é o sentido de estarmos aqui hoje. Queremos debater os avanços da área, debater o aprimoramento de políticas públicas que poderão atender as demandas e as necessidades específicas dos autistas e suas famílias. O autismo sempre foi uma pauta importante para nosso governo. Trabalhamos esses anos todos para entender melhor a questão, ouvir e conversar sobre a importância da implementação de políticas públicas direcionadas", comentou.

O secretário de Direitos Humanos e Participação Popular, Marcelo Mazeta, citou o protagonismo de Araraquara na construção de políticas para as pessoas com TEA. "Araraquara tem avançado cada vez mais na consolidação dessa política pública e isso torna a cidade uma grande referência, o que justifica a  presença massiva de pessoas de vários municípios que vieram conosco compor esse fórum", salientou.

A gestora do Centro de Referência do Autismo "Aldo Pavão Júnior", Karina Maia, deu as boas vindas aos participantes. "Buscamos sempre a melhor forma de como desenvolver o simpósio e fazemos uma busca apurada pelos profissionais convidados para participar, por isso digo que é com muito cuidado e carinho que promovemos esse momento. Espero que as pessoas de Araraquara e de todas as outras cidades que aqui estão sejam bem-vindas e aproveitem esse evento", ressaltou.

A coordenadora da Escola de Governo, Celina Garrido, falou sobre o crescimento do encontro. "Em 2023, a Prefeitura, por meio da Escola de Governo, aceitou o desafio de realizar, em uma parceria com o Centro de Referência do Autismo, o primeiro Simpósio Municipal do TEA, mas ela não sabia do alcance que teria. Na ocasião, houve uma busca importante pelas informações que estávamos nos propondo a fornecer. A Escola de Governo assumiu essa pauta desde então, tendo sempre à frente a Karina Maia, não só como profissional, mas como porta-voz de uma causa de muitos. Este ano temos dois dias de atividades e a participação de pessoas de diversas cidades", observou.

O anfitrião do evento, Oliver Zancul Prado, representou a Unip no ato. "Agradeço a presença de todos. Espero que seja produtivo o evento e que sirva para melhorar a forma como a sociedade lida com esse assunto e com as pessoas envolvidas nele", disse.

A atividade também contou com a participação dos vereadores Luna Meyer (PDT), Guilherme Bianco (PCdoB) e João Clemente (PSDB); da secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Jacqueline Barbosa; do assessor de Políticas para Pessoas com Deficiência, Fernando Supesche; da coordenadora de Atenção Básica da Secretaria de Saúde, Talitha Martins; e da presidente do Fundo Social de Solidariedade, Cidinha Silva.

O evento

Com suas 350 vagas preenchidas em apenas uma semana de divulgação, 
 o II Simpósio Municipal do Transtorno do Espectro Autista  é realizado pela Prefeitura de Araraquara, por meio do Centro de Referência do Autismo, da Escola de Governo e da Assessoria de Políticas para Pessoas com Deficiência, que integra a Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular, em parceria com a Unip.

Após a abertura, foi realizado o Fórum de Abertura com o tema "Serviços Municipais voltados à pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA)", com a participação de Maria Alice Rodrigues Palaçon (AAEE), Adriana Aparecida Biasiolo (APAE), Michelle Neves (AMPARA), Fernando Supesche (Assessoria de Políticas para Pessoas com Deficiência), Cássia Maria Canato (gerencia de Educação Especial) e Karina Maia (Centro Municipal de Referência do Autismo).

À tarde, foi abordado o tema "Navegando no universo do autismo: Impacto emocional do diagnóstico e desafios parentais em diversos contextos", com Karina Maia. Na sequência, o tema explorado foi "Altas habilidades ou superdotação e transtorno do espectro autista: dupla excepcionalidade", com a Profª Drª Rosemeire de Araújo Rangni, doutora em Educação Especial e docente do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de São Carlos.

Nesta quarta

Nesta quarta-feira, as atividades serão abertas com o debate "TEA na adolescência: desenvolvimento psicossocial e vivências clínicas", marcado para as 9h, comandado por Marina Venturini, psicóloga do Centro Municipal de Referência do Autismo. Às 10h30, será abordado o tema "Educação Inclusiva: TEA e o ambiente escolar", com Priscila Benitez, professora adjunta da Universidade Federal do ABC (UFABC).

No período da tarde, será abordado o tema "Explorando possibilidades para o TEA por meio da comunicação alternativa" às 13h30, com a Dra. Ketilin Mayra Pedro, docente do Departamento de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial na Universidade Federal de São Carlos. Às 15h será realizada a "Intervenção com pessoas com TEA segundo análise do comportamento aplicada (ABA): aspectos gerais". A palestra será ministrada por Nathalia de Vasconcelos, que atua com intervenção ABA para pessoas com autismo e outros distúrbios do desenvolvimentos e avaliações diagnósticas dos Transtornos do Espectro Autista e diagnósticos diferenciais.

Caminhada no domingo

Neste domingo (7), será realizada a tradicional caminhada que também celebra o Dia 
Mundial de Conscientização sobre o Autismo. Com o tema "Valorize as Capacidades, Respeite os Limites", a ação será realizada a partir das 8h em frente ao Paço Municipal. O percurso seguirá pela Rua 9 de Julho até o Parque Infantil, com várias atividades para toda a família.

Ações da Prefeitura

O município de Araraquara conta com o Centro de Referência do Autismo "Aldo Pavão Júnior" desde 2020, quando foi inaugurado pela Prefeitura como um dos primeiros centros de referência do autismo públicos do estado de São Paulo. Sua proposta é assegurar um novo modelo para atendimento integrado e multidisciplinar aos autistas de Araraquara e da microrregião.

A unidade especializada foi um compromisso firmado com entidades ligadas ao tema. É resultado do projeto elaborado pelo grupo de trabalho instituído pelo prefeito Edinho em abril de 2017, reunindo representantes das secretarias municipais de Saúde, Assistência e Desenvolvimento Social, Educação, e Planejamento e Participação Popular, além da sociedade civil organizada.

Além disso, Araraquara também é pioneira na iniciativa de criar, em abril de 2021, a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo, que visa garantir atenção integral, pronto atendimento e prioridade no acolhimento e no acesso aos serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social.

A Prefeitura também realiza com frequência cursos, publicação online de cartilhas e ações de conscientização sobre o tema, com o objetivo de oferecer subsídios às famílias das crianças com TEA no período de isolamento social, buscando instrumentalizar as famílias para que elas consigam implementar uma rotina de atividades terapêuticas dentro de casa.